Presidente histórico do Barretos deixa cargo e filho assume

Depois de 35 anos com participação direta e indireta, o presidente do Barretos, Milton Aparecido da Silva, o Miltão, deixará o clube

Publicado em .

Depois de 35 anos com participação direta e indireta, o presidente do Barretos, Milton Aparecido da Silva, o Miltão, deixará o clube

Barretos, SP, 09 (AFI) - Depois de 35 anos com participação direta e indireta, o presidente do Barretos, Milton Aparecido da Silva, o Miltão, deixará o clube. Ele já passou o controle do Touro do Vale para seu filho, Roberval Moraes da Silva, restando apenas a parte burocrática. É um processo de renovação natural, segundo os dirigentes.

DESCANSO E FAMÍLIA

Miltão perdeu seu irmão mais velho, Fião, com quem era muito próximo. Além disso, seu afastamento é um pedido para que possa ficar mais perto da família e cuidar da sua saúde. Ele, entretanto, sempre será o 'presidente de honra' do Barretos.

Miltão (à direita) deixa o Barretos após 35 anos
Miltão (à direita) deixa o Barretos após 35 anos

NOVA EQUIPE

Com isso, seu filho Roberval será o novo presidente do clube, que também terá uma renovação em outros setores.

Antônio Alício Simões Júnior, delegado da cidade, será vice-presidente, Airton Moraes da Silva atuará como diretor de futebol.

José Reinaldo Borges cuidará do futebol da base como diretor, Rodrigo Martinelli será tesoureiro junto com Aparecido Cipriano, que também é vereador na cidade. Roberto José Mununcio é o assessor de imprensa e Júlio Samara é o responsável jurídico. O superintendente de futebol continua sendo Luisão Cortillazzi.

 Roberval Moraes da Silva, novo presidente do Barretos
Roberval Moraes da Silva, novo presidente do Barretos

RENOVAÇÃO

A renovação está sendo comum em todos os clubes. A discussão nacional está voltada agora para que as equipes do país se tornem clubes-empresa.

No interior paulista, o São Caetano também pode ter a saída de Nairo Ferreira, presidente do clube desde 1989, portanto há 30 anos.

Marquinho Chedid, após organizar a situação financeira do Bragantino, também passou o controle para o grupo Red Bull. A família Chedid controlou o futebol do clube por 60 anos.