Com acessos e passagem por Portugal, Eduardo Clara visa temporada de 2020

De volta ao Brasil, treinador tenta reeditar sucesso dos tempos no futebol catarinense, onde colecionou conquistas de peso

Publicado em .

De volta ao Brasil, treinador tenta reeditar sucesso dos tempos no futebol catarinense, onde colecionou conquistas de peso

Campinas, SP, 04 (AFI) - Os clubes do futebol brasileiro já deram o pontapé inicial visando a temporada de 2020.

Independente do estado, as agremiações começaram a anunciar os treinadores de olho em acesso, títulos e vagas em competições nacionais.

Com muita concorrência no mercado, o técnico Eduardo Clara já iniciou conversas com os dirigentes para voltar a trabalhar no Brasil, após trabalhar no AC Alcanenense, de Portugal, no ano passado - no Velho Continente, disputou a Primeira Liga Nacional Sub 19 e Sênior Campeonato Distrital

Logo depois de retornar aos país de origem, Clara recebeu, pelo menos, duas propostas: uma do futebol sergipano e outra da Paraíba. Entretanto, não chegou a acordo e se mantém no livre, antes de definir seu futuro em outubro.

"A concorrência é muito grande quando se trata de treinadores no Brasil. Eu tenho feito bons trabalhos por aqui e estou no aguardo de alguma novidade nos próximos dias para voltar a exercer a função em busca de grandes conquistas", comentou.

BAGAGEM

O profissional de 48 anos está próximo de completar duas década de carreira, a qual é contemplada com acessos e títulos, além de passagens por clubes de diversos estados do país.

Tudo começou em 2001, na primeira primeira experiência como técnico profissional, ainda no Ranchariense. Quem ofereceu a oportunidade para exercer a função à beira do gramado foi Écio Pasca, responsável por revelar o atacante Dener, na Portuguesa - na época, a Lusa conquistou título invicto da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1991.

Além de Ranchariense e Santa Catarina FC, então comandada por Pasca, Eduardo Clara abriu portas no futebol catarinense e fez história, com dois títulos na Divisão Especial e acesso à elite regional com o Camboriú em 2006 e 2011. No sub-20, foi tricampeão estadual em 2005, 2006 e 2011.

O paulistano ainda dirigiu o União Timbó na campanha do acesso, Juventus, em duas oportunidades, e o Atlético Tubarão.

Em São Paulo, Eduardo integrou a comissão técnica do Grêmio Osasco vice-campeão paulista da Série A3 de 2009 e no acesso à Série A2. O currículo também inclui trabalhos em São Carlos e Atibaia (2) no estado.

No Amazonas, dirigiu o São Raimundo três vezes e conquistou o título da segunda divisão, com acesso, além de Peñarol - o último clube no Brasil foi o Santa Helena em 2018.