STJD marca julgamento do jogo entre Aparecidense x Ponte para sexta-feira

Na última segunda-feira, o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho determinou à CBF a não homologação da vitória da Aparecidense

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 19 (AFI) - Sexta-feira vai ser o "Dia D" para definição se o jogo entre Aparecidense e Ponte Preta, pela primeira fase da Copa do Brasil. Essa é a data que o Superior Tribunal de Justiça (STJD) marcou o julgamento do pedido de impugnação da partida feito pela Macaca.

O julgamento vai acontecer na sede da OAB-CE a partir das 16 horas e o relator sorteado foi Ronaldo Botelho Piacente. Não será no Rio de Janeiro pelo sistema itinerante do STJD. O provável é a anulação do jogo e a marcação de outro em campo neutro, provavelmente em Goiânia (GO).

PEDIDO ACATADO
Na semana passada, a Ponte Preta entrou com um pedido de impugnação alegando que a decisão do árbitro Léo Simão Holanda em anular o gol do atacante Hugo Cabral aos 44 minutos do segundo tempo foi tomada após interferência externa. O jogo ficou paralisado por 16 minutos.

Após receber o pedido de impugnação, o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, determinou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a não homologação da vitória da Aparecidense sobre a Ponte Preta, por 1 a 0. Na prática, o jogo está suspenso.

Ponte Preta alega interferência externa e pede a impugnação do jogo contra a Aparecidense
Ponte Preta alega interferência externa e pede a impugnação do jogo contra a Aparecidense

SEGUNDA FASE
Para não atrapalhar o andamento da Copa do Brasil, já que o jogo entre Bragantino-PA e Aparecidense, pela segunda fase, estava marcado para a próxima quarta-feira, o STJD marcou o julgamento em caráter de urgência.

O julgamento vai acontecer na sede da OAB-CE a partir das 16 horas e o relator sorteado foi Ronaldo Botelho Piacente.

LANCE CONTESTADO
O lance contestado pela Ponte Preta aconteceu aos 44 minutos do segundo tempo, quando perdia por 1 a 0 e buscava o empate para chegar à segunda fase. Após um rebote do goleiro da casa, Hugo Cabral mandou para as redes. Tanto o árbitro, quanto o auxiliar, validaram o gol, mas a Aparecidense não deu continuidade no jogo e ficou reclamando de impedimento do atacante.

Depois de quase sete minutos, o delegado da partida, Adalberto Grecco, aparece na imagem conversando com o auxiliar Samuel Oliveira Costa, que corre até o árbitro Léo Simão Holanda e marca o impedimento do jogador. A anulação do gol gerou críticas dos jogadores da Ponte Preta, que alegam ter visto a possível interferência externa.