Pan de Lima termina com Brasil com recorde de medalhas e iguala feito de 56 anos

O próximo Pan será realizado a partir de 20 de outubro a 5 de novembro em Santiago, a capital do Chile

por Agência Estado

Lima, PER, 11 (AFI) - A primeira edição dos Jogos Pan-Americanos no Peru chegou ao fim na noite deste domingo com a realização da cerimônia de encerramento em Lima, no Estádio Nacional. E, simbolicamente, a cidade cedeu parte da festa para Santiago, que organizará a próxima edição do evento poliesportivo, em 2023. O próximo Pan será realizado a partir de 20 de outubro a 5 de novembro no Chile.

Brasil com recorde de medalhas e show de alegria
Brasil com recorde de medalhas e show de alegria
ATRÁS DOS AMERICANOS
Elas fizeram parte de uma delegação que foi 171 vezes ao pódio no Pan de Lima, com recorde de medalhas, sendo 55 medalhas de ouro, 45 de prata e 71 de bronze, o que deixou o Brasil em segundo lugar no quadro geral de medalhas, algo que não ocorria desde 1963, quando o evento foi realizado em São Paulo.

A natação foi o carro-chefe do Brasil em Lima, com 30 medalhas conquistadas, sendo dez de ouro. E o País aproveitou o evento para faturar 29 vagas diretas para a Olimpíada de Tóquio: handebol feminino (14 atletas), adestramento (3), CCE (3), saltos (3), pentatlo feminino (1), tênis masculino (1), tênis de mesa (1) e vela (2).

DANÇAS E CORES

Rafaela Silva na bandeira. Foto: André Loureiro . COB
Rafaela Silva na bandeira. Foto: André Loureiro . COB

Com muitas danças e uso de cores, os organizadores do Pan de Lima aproveitaram a despedida do Pan para apresentarem mais detalhes da cultura peruana.

Enquanto isso, o Chile exibiu alguns dos seus principais artistas, como a cantora Francisca Valenzuela, que realizou um breve show.

JUDÔ E CADEIRA DE RODAS
Na cerimônia de encerramento, Rafaela Silva foi a porta-bandeira do Brasil. Dona de títulos mundial e olímpico, a judoca conquistou em Lima a sua primeira medalha de ouro pan-americana.

E também chamou a atenção a participação da carateca Jéssica Linhares, bronze em Lima e que entrou em uma cadeira de rodas para o desfile de adeus dos atletas após sofrer fissura no terceiro metatarso do pé direito.