Paulistão: Meia rompe tendão de Aquiles e desfalca Guarani por até 9 meses

Lucas Crispim foi um dos três jogadores bugrinos que se contundiram na derrota para o Santos, na última terça-feira

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 19 (AFI) - A bruxa está solta no Brinco de Ouro da Princesa. Na derrota para o Santos, por 3 a 0, na última segunda-feira, três jogadores precisaram ser substituídos por lesão no Guarani. O caso mais grave é o do meia Lucas Crispim, que rompeu o tendão de Aquiles do pé direito.

A contusão de Lucas Crispim aconteceu logo no início do jogo, quando seu pé ficou preso no gramado após um escorregão. Substituído por Álvaro, o meia saiu chorando e já teve o pé imobilizado ainda no banco de reservas do Pacaembu.

O meia Lucas Crispim só deve retornar aos gramados na reta final da Série B do Brasileiro
O meia Lucas Crispim só deve retornar aos gramados na reta final da Série B do Brasileiro
Nesta terça-feira, os exames detectaram o rompimento do tendão e o meia vai precisar passar por uma cirurgia. O tempo de recuperação para esse tipo de lesão varia de seis a nove meses. Ou seja, Lucas Crispim só deve voltar aos gramados na reta final da Série B do Brasileiro.

Contratado junto ao São Bento, Lucas Crispim esteve em campo nas sete partidas realizadas pelo Guarani no Paulistão e também na derrota para o Avenida, pela Copa do Brasil. Seu contrato com o Bugre se encerra em dezembro deste ano.

VAI TROCAR?
De acordo com o regulamento do Paulistão, os clubes podem substituir jogadores lesionados ainda na primeira fase. A diretoria ainda não decidiu se vai em busca de outro jogador para a posição. Nesta terça, o Guarani fechou a lista com as inscrições do goleiro Passarelli e do atacante Anselmo Ramon.

Na terceira colocação do Grupo B, com 12 pontos, e volta a campo no sábado, contra o São Caetano, em Campinas, pela oitava rodada. Nesta terça, os reservas fizeram um jogo-treino contra o Atibaia e venceram por 1 a 0.