Seleção colombiana acerta retorno do técnico ex-Flamengo após 15 anos

A Federação Colombiana de Futebol (FCF, na sigla em espanhol) divulgou a informação por meio de um comunicado

por Agência Estado

Campinas, SP, 14 - Um dia depois de acertar sua saída do Chile, o técnico Reinaldo Rueda foi anunciado nesta quinta-feira como o novo treinador da seleção colombiana para o ciclo da Copa do Mundo do Catar, em 2022. Ele volta a comandar a equipe após 15 anos e será apresentado na próxima terça-feira, dia 19.

ESCOLHIDO

A Federação Colombiana de Futebol (FCF, na sigla em espanhol) divulgou a informação por meio de um comunicado. A entidade agradeceu a Federação Chilena e seu presidente, Pablo Milad, pela postura na negociação. Colombiano, Rueda vai dirigir a seleção na Copa América 2021, da qual a Colômbia será sede ao lado da Argentina, e nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Catar.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O comandante foi escolhido para ser o substituto do português Carlos Queiroz, demitido no início do mês após as goleadas sofridas para Uruguai e Equador pelas Eliminatórias. Com quatro pontos em quatro jogos, a Colômbia é o próximo adversário do Brasil, no duelo marcado para o dia 25 de março, em Barranquilla, pela abertura da quinta rodada do torneio.

DE VOLTA

Rueda, de 63 anos, já esteve à frente da seleção de base de seu país e também do time principal, entre 2004 e 2006, com 16 vitórias, 12 empates e 11 derrotas em 39 partidas. Em seu último trabalho, no Chile, foram nove triunfos, oito empates e dez reveses em 27 jogos.

Antes de comandar o Chile, o treinador dirigiu o Flamengo em uma breve passagem em 2017. Naquela temporada, bateu na trave duas vezes, sendo vice-campeão da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana. Também treinou as seleções de Honduras e Equador, ambas por cinco anos.

O melhor trabalho da carreira do colombiano foi no Atlético Nacional, pelo qual conquistou a Copa Libertadores de 2016, ano em que foi eleito o melhor técnico da América do Sul, e a Recopa no ano seguinte ao derrotar a Chapecoense na final, seis meses depois do acidente aéreo que vitimou 71 pessoas em Medellín e quase todo o elenco do time catarinense.