Atacante nega corpo mole dos jogadores e lamenta 'vacilos' do Corinthians

"São os vacilos que a gente vem dando. O Santo André não tinha chegado nenhuma vez na nossa área e conseguiu um gol"

por Agência Estado

São Paulo, SP, 26 (AFI) - O atacante Vagner Love lamentou os vacilos do Corinthians em mais um tropeço no Campeonato Paulista. Desta vez, o time alvinegro empatou por 1 a 1 com o Santo André em casa, pela oitava rodada do Paulistão. O jogador também ressaltou a dificuldade para fazer a bola rolar em razão da formação de diversas poças d'água no gramado da Arena em Itaquera.

"São os vacilos que a gente vem dando. O Santo André não tinha chegado nenhuma vez na nossa área e conseguiu um gol.

Depois a chuva dificultou, virou jogo de briga, de imposição, buscamos jogo de bola aérea, mas infelizmente o resultado hoje não foi bom para a gente", destacou Vagner Love a respeito da partida cujo resultado poderia ter sido ainda pior não fosse a aparição de Boselli.

O argentino garantiu o empate com um gol de cabeça marcado aos 46 minutos da etapa final.

NÃO HÁ CORPO MOLE
O protesto realizado por organizadas do Corinthians, que cobraram diretoria, jogadores e o técnico Tiago Nunes hora antes do confronto com o Santo André, também foi comentado por Vagner Love.

O atacante garantiu que não há corpo mole no elenco - na manifestação, os torcedores cobraram raça dos jogadores em campo.

Para Love, não existe corpo mole no elenco
Para Love, não existe corpo mole no elenco

"Jogamos no Corinthians, é pressão todos os dias, temos que saber lidar com isso. A gente não faz corpo mole, torcedor tem direito de protestar, damos o máximo sempre.

Corpo mole não tem, podemos ter vacilado em alguns jogos, mas queremos sempre fazer um bom trabalho", garantiu.

SURPRESO COM DRENAGEM
Já o zagueiro Pedro Henrique se mostrou surpreso com a drenagem ruim do gramado da Arena em Itaquera.

O pior momento da equipe alvinegra em campo coincidiu com o período em que a bola rolou com mais dificuldade, durante toda a segunda metade da etapa inicial.

"Nunca aconteceu isso com nosso gramado, fator ruim, a gente gosta de jogar com a posse de bola. Não estamos acostumados.

Foi no coração mesmo, até último minuto com gol do Mauro. Poderíamos ter vencido, mas a bola não queria entrar", afirmou o zagueiro.