​Chape volta atrás e não pedirá anulação de jogo contra o Goiás

Orientação partiu do departamento jurídico do próprio clube, que avaliou não haver base para o pedido

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 11 - A Chapecoense voltou atrás em relação às declarações dadas pelo presidente Plínio David de Nes Filho, o Maninho, e desistiu de pedir a anulação da derrota por 3 a 1 para o Goiás, em jogo realizado na última segunda-feira, pela oitava rodada do Brasileirão. A orientação partiu do departamento jurídico do próprio clube.

Maninho falou sobre impugnação logo após o fim da partida, realizada no Serra Dourada. Bastante irritado, ele criticou a atuação do árbitro Igor Junio Benvenuto e do restante da comissão, inclusive os responsáveis pelo árbitro de vídeo, comandados por Emerson de Almeida Ferreira.

Foto: Carlos Costa / Chapecoense
Foto: Carlos Costa / Chapecoense
O Mandatário reclamou do pênalti marcado aos 32 minutos do primeiro tempo, com o auxílio do VAR, em lance no qual Márcio Araújo derrubou Léo Sena. Outra pauta foi a expulsão de Bruno Pacheco. “Estamos solicitando o cancelamento da partida pelos erros que ocorreram aqui no jogo de hoje”, disse Maninho na ocasião.

Uma reunião realizada nesta terça-feira, no entanto, resultou na mudança de postura. Após uma avaliação dos fatores, os advogados do clube chegaram à conclusão de que não existe base jurídica para o pedido de anulação da partida. Apesar disso, o clube irá fazer uma reclamação formal à Comissão da Arbitragem da CBF.