Fluminense 2 x 0 Botafogo - Flu leva Clássico Vovô e fica com a 'Taça Gerson e Didi'

Tricolor continua na briga por uma vaga pela Copa Libertadores de 2021, enquanto o Botafogo está com um pé na Série B

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 24 (AFI) - Nem mesmo a disputa da ‘Taça Gerson e Didi’ serviu para dar brilho ao Clássico Vovô disputado por Fluminense e Botafogo, neste domingo à noite, num local estranho para os rivais: o estádio de São Januário, do Vasco.

O jogo válido pela 32.ª rodada do Campeonato Brasileiro não agradou pela falta de técnica, mas acabou sendo importante para o Fluminense que venceu por 2 a 0, com gols de Lucca e Wellington Silva.

VEJA OS GOLS DO CLÁSSICO VOVÔ

EM CIMA, EM BAIXO
Com a vitória, o Fluminense atingiu os 50 pontos e continuou em sétimo lugar, ainda sonhando com uma vaga na Copa Libertadores de 2021. De quebra levou para a casa a taça que estava em disputa.

Pior mesmo é a situação do Botafogo que continua na lanterna, com apenas 23 pontos e está cada vez mais perto de ser rebaixado para a Série B. O Fortaleza, primeiro time fora da zona de descenso, tem 35 pontos, portanto, está 12 pontos na frente.

GERSON E DIDI COM O FLU

A ‘Taça Gerson e Didi’ foi criada este ano pelos dirigentes dos dois clubes, após se aliarem contra a Federação Carioca (FERJ) pela retomada do futebol em plena pandemia da Covid-19. A taça homenageia os dois ex-jogadores – Gerson e Didi - e que foram ídolos jogando pelos dois clubes co-irmãos.

O combinado seriam dois jogos amistosos, disputados após o estadual e os dois confrontos pelo Brasileiro. Nos amistosos, o Fluminense venceu o primeiro por 1 a 0 e empatou o segundo por 1 a 1.

Mesmo placar no primeiro turno do Brasileiro, no estádio Nilton Santos, o Engenhão. Agora somou sua segunda vitória e conquistou a taça.

PRIMEIRO TEMPO HORRÍVEL
O primeiro tempo foi de pouca movimentação e nenhuma emoção. O Fluminense, como mandante, foi escalado por Marcão no esquema 4-3-3 tendo a volta do meia Nenê. O Botafogo, de Eduardo Barroca, começou no 3-5-2.

Os dois times concentraram seu jogo na intermediária e quase não chegaram dentro da área. Muitos erros de passes e posse de bola equilibrada.

A única chance real de gol surgiu na parte inicial do clássico, quando Nenê cobrou falta pelo lado direito, houve um desvio no primeiro pai e depois Lucca desviou de cabeça. A bola passou à esquerda do goleiro Diego Cavalieri, outra novidade no tricolor.

MARCÃO FALA DA VITÓRIA NO CLÁSSICO

CHANCE E GOL
O segundo tempo começou no mesmo ritmo lento. O Fluminense, mais bem organizado, teve uma chance aos 13 minutos, num chute de Yago Felipe e espalmado para escanteio por Cavalieri.

Mas o goleiro se deu mal aos 21 minutos, quando Lucca chutou fraco e o goleiro se agachou e viu a bola tocar em seu joelho e entrar. Uma grande falha e gol do Fluminense. O lance nasceu pelo lado esquerdo, num cruzamento de Luiz Henrique, que desviou noz agueiro Marcelo Benevenuto e sobrou pra o chute de primeira de Lucca.

FOGÃO NO ATAQUE
O técnico Eduardo Barroca tentou colocar o Botafogo na frente com as entradas de três atacantes: Iván Angulo, Davi Araújo e Rafael Navarro. Teve uma chance de empatar aos 30 minutos, numa falta perto da área bem cobrada por Barrandaguy. Ele encobriu a barreira e a bola passou perto da trave direita de Marcos Felipe. O goleiro não fez nenhuma defesa durante o clássico.

Aos 50 minutos, Wellington Silva é lançado em velocidade dentro da área e acaba derrubado por Diego Cavalieri. Na cobrança, o próprio Wellington Silva bateu forte no canto direito do goleiro, que saltou e sem sucesso. Final, 2 a 0.

PRÓXIMOS JOGOS
Pela 33.ª rodada, o Fluminense vai enfrentar o Goiás, outro ameaçado pelo rebaixamento, de novo no Rio de Janeiro, domingo às 20h30. O Botafogo só volta a campo no dia 2 de fevereiro diante do Palmeiras, em São Paulo. O time paulista vai decidir o título da Copa Libertadores no dia 30 de janeiro, sábado, contra o Santos em partida única marcada para o Maracanã.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
32ª rodada
Data
24/01/2021
Horário
20h30
Local
São Januário - Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro
Edina Alves Batista (SP)

Assistentes
Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Neuza Ines Back (SP)

Público
Portões fechados
Cartões Amarelos
Fluminense-RJ: Luiz Henrique, Yago Felipe
Botafogo-RJ: Rafael Forster

Gols
Fluminense-RJ: Lucca 21' 2T, Wellington Silva 53' 2T
Fluminense-RJ
Marcos Felipe;
Calegari, Nino, Luccas Claro e Egídio;
Martinelli, Yago Felipe e Nenê (Matheus Ferraz);
Luiz Henrique (Hudson), John Kennedy (Marcos Paulo) e Lucca (Wellington Silva).
Técnico: Marcão
Botafogo-RJ
Diego Cavalieri;
Marcelo Benevenuto, Kanu e Rafael Foster (Barrandeguy);
Kevin, José Welison (Rafael Navarro), Caio Alexandre, Bruno Nazário (Davi Araújo) e Victor Luís (Cícero);
Matheus Nascimento (Iván Angulo) e Matheus Babi
Técnico: Eduardo Barroca