Rival do Flamengo no Mundial de 2019 é excluído da Liga dos Campeões da Ásia. Confira!

Curiosamente, o saudita Al Hilal é o atual campeão da princincipal competição do futebol asiático

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 23 (AFI) - O saudita Al Hilal foi excluído da Liga dos Campeões da Ásia por não ter ao menos 13 jogadores para enfrentar o emiratense Shabab Al Ahli Dubai. A decisão já foi divulgada pela Confederação Asiática de Futebol (AFC).

Atual campeão continental, o Al Hilal foi eliminado pelo Flamengo na semifinal do Mundial de Clubes de 2019. Os sauditas tiveram um surto de covid-19 e diversas leões chegaram a divulgar que entrariam em capo com nove jogadores, além de dois goleiros no banco de reservas.

Momentos antes do confronto, o comissário responsável pelo duelo chegou a declarar a partida como suspensa. A AFC, porém, foi ainda mais firme e excluiu o Al Hilal, que já estava classificado às oitavas de final da Liga dos Campeões da Ásia.

Al Hilal é o atual campeão asiático
Al Hilal é o atual campeão asiático

"O Al Hilal, da Arábia Saudita, não conseguiu nomear os 13 jogadores necessários para a partida do Grupo B da Liga dos Campeões da AFC contra o Shabab Al Ahli Dubai, dos Emirados Árabes Unidos, e, de acordo com o Artigo 4.3 das Regras Especiais Aplicáveis às competições da AFC durante a pandemia da covid-19, está considerado retirado da competição", declarou a AFC.

"Todas as partidas disputadas pelo Al Hilal, que nomeou apenas 11 jogadores, são consideradas nulas e sem efeito de acordo com o Artigo 6 dos regulamentos da Liga dos Campeões da AFC e, portanto, o Pakhtakor do Uzbequistão e o Shabab Al Ahli Dubai avançaram para as oitavas de final do Grupo B", encerrou a entidade.

Segundo a AFC, o Al-Hilal levou apenas 27 atletas dos 35 permitidos para Doha para o início da Liga dos Campeões. Na sequência, a entidade autorizou a inscrição de dois goleiros para substituir jogadores que testaram positivo para a covid-19, além de mais dois atletas que não haviam viajado.

Desde então, a AFC manteve contato com o Al Hilal e com a confederação saudita e manifestou sua preocupação com o tempo para a chegada dos novos jogadores. Com a impossibilidade de novas substituições e o pouco tempo disponível, o Al-Hilal não teria como entrar em campo, o que levou à exclusão.