Marinho sobre a morte do filho: "Fala que é mentira. Que dor, gente"

Queda do avião matou seis pessoas, sendo quatro jogador do Palmas

por Agência Futebol Interior

Palmas, TO, 25 (AFI) - Marinho, ex-atacante do Atlético-MG, já havia externado toda a sua dor pela perda do filho Marcus Vinícius em conversa com o jornalista Milton Neves no domingo. Em casa, ele usou as redes sociais para dividir seus sentimentos com os seguidores.

"Por favor, fala que é mentira, que é só um pesadelo. Que dor, gente", postou o ex-atacante.

A dor do pai pela perda do filho. (Foto: Reprodução)
A dor do pai pela perda do filho. (Foto: Reprodução)

Autor do gol do título do Atlético-MG na Série B de 2006 e artilheiro do Brasil naquela temporada com 27 gols, Marinho é pai de uma das vítimas do acidente aéreo em Tocantins. Assim como o pai, Marcus Vinícius era atacante e, após rodar pelo Sudeste, tinha tido sua primeira chance no Norte.

TRAGÉDIA!
O acidente aconteceu na manhã de domingo e matou Lucas Meira, empresário e presidente do Palmas, os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, e o comandante Wagner.

De pequeno porte, o avião caiu logo após a decolagem na Associação Tocantinense de Aviação (ATA), no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional. O avião deu algumas voltas, perdeu altitude e atingiu o solo em um matagal, pegando fogo. Todos integrantes morreram.

Todos viajavam para Goiânia, onde o Palmas enfrentaria o Vila Nova nesta segunda-feira pelas oitavas de final da Copa Verde. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adiou o jogo.

O Vila Nova entrou direto nas oitavas, enquanto o Palmas eliminou o Real Noroeste, por 2 a 0, na primeira fase. A Copa Verde tem sido disputada em 2021 por causa do estrago causado pela pandemia de Covid-19.