IML pede às famílias documentação odontológica para identificar os corpos em Palmas

IML já realizou a coleta de DNA de cada um dos corpos para fazer a comparação junto a documentação

por Agência Futebol Interior

Palmas, TO, 25 (AFI) - O Instituto Médico Legal (IML) de Palmas pediu às famílias a documentação odontológica de cada uma das vítimas do acidente aéreo de domingo para que se possa realizar a identificação dos corpos que foram carbonizados após a queda do avião de pequeno porte.

O corpo do presidente Lucas Meira foi o primeiro a ser identificado. Aos 32 anos, o presidente do Palmas tem família na capital, o que acabou facilitando. Todos os quatro jogadores não residiam e nem tinham família em Tocantins.

Corpos foram carbonizados na queda do avião. (Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação)
Corpos foram carbonizados na queda do avião. (Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação)
O IML já realizou a coleta de DNA de cada um dos corpos para fazer a comparação junto a documentação. Só assim as famílias poderão levar seus entes queridos para serem velados. Ainda não há a informação de onde cada jogador será velado. Lucas Meira está sendo velado em Palmas.

TRAGÉDIA!
O acidente aconteceu na manhã de domingo e matou Lucas Meira, empresário e presidente do Palmas, os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, e o comandante Wagner.

De pequeno porte, o avião caiu logo após a decolagem na Associação Tocantinense de Aviação (ATA), no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional. O avião deu algumas voltas, perdeu altitude e atingiu o solo em um matagal, pegando fogo. Todos integrantes morreram.

Todos viajavam para Goiânia, onde o Palmas enfrentaria o Vila Nova nesta segunda-feira pelas oitavas de final da Copa Verde. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adiou o jogo.

O Vila Nova entrou direto nas oitavas, enquanto o Palmas eliminou o Real Noroeste, por 2 a 0, na primeira fase. A Copa Verde tem sido disputada em 2021 por causa do estrago causado pela pandemia de Covid-19.